sexta-feira, 30 de março de 2007

A tradição já não é o que era...

Já dizem que a tradição já não é o que era. E é bem verdade.
Será que é bom ou mau? Não sei. Sabes???
Por exemplo: O namoro!!!!
O namoro em si já não é o que era! O pensar no namoro não é o que era! Eu sei que longe vão os tempos em que havia, não sei se respeito, se medo, mas qualquer coisa havia!!
Ora, dantes o que se dizia era: "Queres namorar comigo?"
Ao que agora é dito: "Chavala, queres curtir comigo, dar uns melos e tal? - Há aqui, realmente, um grande «à vontade» nos dias que correm.
"Se-Se-Senhor Mendes, go-go-gostaria de pe-pedir a ma-mão da su-sua filha em ca-ca-casamento". Hoje já é mais: "Bacano!!! Ouve o que eu te digo!!!! O puto não é meu!"
Para que se pudesse ousar pensar na remota possibilidade de existir um potencial namoro, era indispensável a presença dos pais. O pai no cadeirão do «chefe» com o seu charuto, a mãe no sofá, ora entre os «pombinhos» ora ao lado, a filha toda inclinada sobre o potencial futuro esposo, e o coitado do rapaz, a tremer tipo vara verde, dividindo o olhar entre o fumo do charuto do pai dela e o olhar perfurador da mãe enquanto tricotava uma camisola de lã para o «Grande Chefe». Ora, os rapazes não tinham culpa!! Era tamanha a dificuldade para conseguirem sentir o joelho da miúda, que ao finalmente marcarem a data do casamento, a realização do mesmo e etc., já não iam largar, mas era que nem pensar nisso!!! Custou muito a ganhar, não ia mudar de mãos assim tão facilmente.
Isto contam eles e elas, mas eu não acredito! Pronto!! Não havia a confiança que há hoje, mas não eram nenhuns santinhos, porra!! Sempre existiram descampados e moitas e celeiros e elevadores.... (bem, talvez elevadores, não! - he he he).
Hoje não custa tanto a «ganhar» (não custa, uma porra!! Eu que o diga!!), mas quando se ganha, parte-se do principio que donde aquela companhia veio, vêm outras tanta (aplicável a homens e mulheres).
Todo o conceito de exploração, curiosidade, mudou. Se dantes, um homem, ao ver um tornozelo, ficava com uma erecção por uma semana, hoje é preciso vê-las vestidas para se sentir minimamente excitado.
No entanto, nem tudo é bom (ou mau)!! Antigamente saía qualquer como: "Ó Maria!!! Traz-me os chinelos!!!!!"; enquanto que agora: "Manel, hoje é o teu dia de lavar a louça!"; Perde-se nuns pontos, ganha-se noutros!!
Pois é!! Os casamentos duravam por medo, receio, parvoíce. Agora duram por Amor!!

Hahahahahahahahahahahahahahahahahahaha. Des-hahahaha. Desculpem. Tou a rir????? Não sei porquê!!!
Dantes a tradição era casar, agora passa a ser divorciar! Um bom casamento não passa sem um bom divórcio, e o resto é conversa!!!!





1 comentário:

Ana disse...

antes, os casamentos duravam por amor. agora nem sei porque vale a pena casar .. gasta-se um balurdio para assinar um papel, sem falar no q se gasta numa festa d casamento .. depois vem o divorcio e toma la mais uns € .. houve uma altura em q acho q casar tornou-se "moda" e muitos desses casamentos viviam e vivem d aparencias .. mas fica sempre bem dizer q se está casado(a) .. pfffffffffff
uniao d facto é o que está na "moda" agora .. é só juntar amizade, carinho, respeito, amor, cumplicidade, humor e fidelidade .. levar ao rubro, durante o tempo q for necessario .. ah, e é de borla .. :)